Para assistir com pipoca: Reign

Imagem

Como uma grande admiradora de História e da realeza em geral, fiquei extremamente empolgada quando a CW anunciou uma nova série sobre a Rainha da Escócia em 1542, Mary Stuart. A história gira em torno de Mary, é claro, que foi prometida ao futuro Rei da França, Francis, quando tinha apenas 9 anos. Em seguida, foi mandada para um convento de freiras, onde seria preparada para seu casamento.  Mais tarde, ao receber uma ameaça de morte mesmo com a proteção no convento, Mary retorna à França. No entanto, o acordo estabelecido de que ela e Francis se casariam, está desestabilizado. A França se vê ameaçada por outras nações e não tem certeza se uma aliança com a Escócia seria a melhor escolha.

É aí que a história começa, com Mary e Francis tentando aprender como separar sentimentos de suas obrigações como governantes. Um casamento não tinha nada a ver com amor, e sim com tratados entre países, estabilidade para nações. Entender isso não será uma tarefa fácil a partir do momento em que os dois se veem apaixonados.

Imagem

Mary não tem de lidar somente com as ameaças da Inglaterra, que queria a todo custo dominar a Escócia. Catarina de Médici, a Rainha da França, mãe de Francis, é uma inimiga interna fortíssima. Tudo porque Nostradamus, um vidente que serve à Coroa francesa, prevê um futuro nada feliz para Francis e isto tem a ver com a sua relação com Mary.

Imagem

Como a série ainda está no comecinho – só foram exibidos quatro episódios até agora – não posso falar com certeza que haverá um triângulo amoroso entre Mary, Francis e seu meio-irmão, o filho bastardo do Rei com sua amante Diane, Sebastian. Bash, como é conhecido, é tudo que Francis não pode ser. Livre. Como não é filho legítimo, não tem obrigações relacionadas ao trono e pode se divertir, arriscar sua vida, viajar, viver.

Outras histórias acontecem no castelo, como as que envolvem as damas de companhia de Mary, suas quatro melhores amigas que vieram da Escócia. Logo no primeiro episódio, um incidente envolvendo uma das garotas, Lola, e seu namorado, Colin. O acontecimento irá abalar sua amizade com Mary e fará com que as garotas repensem se estão ali por serem amigas da Rainha ou apenas para servi-la.

Imagem

 A fotografia da série é incrível (te dá vontade de parar o player e tirar print da tela a cada 5 segundos), a trilha sonora é impecável (logo no primeiro episódio você ouve The Lumineers! E uma música linda chamada Back to You, de um grupo que eu não conhecia, Twin Forks) e o roteiro, a escrita é muito boa também. Tudo isso faz de Reign uma série IMPERDÍVEL!

É claro que há muito romance, mas também há ação e uma verdadeira e divertida aula de História. Os personagens são bem construídos, tendo em vista que não vemos a garota principal fraquinha, melosa, que precisa do garoto 24 horas por dia ou um personagem principal totalmente forte e imbatível. Todos os personagens têm personalidades fortes, problemas internos e são envolventes.

Aqui vai uma dica: assista a essa série com um bloquinho de folhas na mão para ir anotando as melhores falas dos personagens. Te garanto que em 4 episódios, já tenho muitas frases lindas/tristes/inspiradoras anotadas.

p.s: posso dar mil baldes de pipoca para Reign?

Advertisements

Séries com Pipoca

slide_302988_2569339_free11

Com a quantidade de séries a que assisto é bastante difícil dizer qual é a minha favorita. Se eu fosse torturada – naquele modo chinês em que as gotas vão caindo e caindo até você se render – eu talvez, muito provavelmente diria que é The Newsroom. A série tem tudo de que mais gosto nessa vida: uma equipe de jornalistas brilhantes, pitadas de sarcasmo, ironia e humor negro, além de romances. Estes, muito, muito complicados. Nada dá certo para nenhum casal nessa história, e é isso que te faz gostar ainda mais – e te faz surtar com um simples olhar entre seus casais favoritos. O romance não é o foco da história, mas rende episódios muito emocionantes.

The Newsroom gira em torno da produção, criação e apresentação do “News Night with Will McAvoy”, incluindo assistentes que tentam cobrir uma história importante, reuniões de pauta que incluem temas bizarros como o Big Foot, e uma guerra entre os donos da emissora e o âncora Will McAvoy.

Will não tem papas na língua. Suas opiniões são expressas sem qualquer preocupação, o que o coloca em situações difíceis (quase sempre) e que dão muito trabalho para a fiel Mackenzie e Charlie (fofo com sua gravatinha borboleta!). Mac e Will foram namorados, mas o termino não foi muito amigável – o que renderá boas indiretas e uma tensão incrível que não vai te deixar piscar os olhos quando os dois estiverem na mesma cena.
Cada edição do jornal aborda temas atuais (o primeiro episódio da segunda temporada, por exemplo, fala do Occupy Wall Street).

images (1)

Nos bastidores, o produtor Jim Harper (lindo!) e a produtora  associada Maggie formam um triângulo amoroso – um tanto  desengonçado – com outro funcionário do canal de TV, Dom    Keefer. É o meu casal favorito, mas garanto que até agora nada    muito concreto aconteceu entre os dois! Vamos lá, Aaron Sorkin (criador da série, roteirista do maravilhoso A Rede Social)!

 

No Brasil, a HBO exibe o seriado na mesma semana em que sai nos EUA. Atualmente no segundo episódio da segunda temporada, The Newsroom tem conquistado os críticos com seus scripts inteligentes e recheados de críticas ao governo americano – e porque não dizer à sociedade americana também?

Eu daria um milhão de pipocas para The Newsroom, mas como o máximo por aqui é de cinco baldes, dou cinco baldes para a série!

561a7-5pipocas

O que vocês estão assistindo? Qual série me indicam e gostariam de ver aqui no Séries com Pipoca?

Para assistir ao trailer da primeira temporada (em inglês), clique aqui. 

Séries e Pipoca apresenta "Partners"

Olá, bookaholics! Reconheço que já tem um bom tempo que não posto por aqui, e me desculpo por isso. Várias coisas aconteceram – não só a Matemática da escola que tanto me consome – como um certo “bloqueio” e uma imensa falta de estímulo. (Reparei agora em como “imensa falta” soa estranho)

Porém, hoje me deparei com uma nova série, indicada pelo meu melhor amigo – a quem não vejo a hora de reencontrar – e com ninguém menos ninguém mais que Brooke, de One Tree Hill, Sophia Bush! Preciso dizer que ela foi muito rápida em encontrar uma nova série, e incrivelmente feliz na escolha, uma vez que Ali – sua personagem em Partners – só possui uma semelhança em relação a Brooke: ambas são donas de loja. E para por aí mesmo! Dessa vez, o drama deu lugar a uma comédia bem escrita – capaz de conquistar até mesmo quem não suporta a maioria das comédias americanas isso vai para vocês, The Big Bang Theory e Two And a Half Man! como eu. 

Com apenas 20 minutos de episódio, o Pilot já deu uma boa ideia do que a história se trata. Dois melhores amigos, Joe e Louis (preciso dizer que Gossip Girl me acostumou errado e eu fiquei o episódio inteiro esperando uma pronúncia europeia de Louis, sem o S), desde a infância têm muito em comum. Ambos gostam de arquitetura, e é justamente isso que continua os unindo no futuro, quando são sócios de um escritório de arquitetos. 
Como todo melhor amigo, Louis e Joe dão pitaco na vida do outro, consolam, brigam, xingam, mas no fim do dia (ou nesse caso, do episódio) continuam se amando. 

Enquanto Louis divide um apartamento com seu namorado Wyatt, o SHAW DE CHUCK!!! (um enfermeiro lindíssimo a quem Louis se refere como médico quando na verdade é enfermeiro), Joe está numa encruzilhada quando se refere a Ali, sua namorada. E é a mesma dúvida e mesmo medo que corroem todos os homens que carrega o episódio: minha cabeça diz para não casar. A outra cabeça diz que ela é sexy, mas e o meu coração? O que diz o meu coração? 

Como isso vai se resolver, espero que assistam para saber! E aconselho, MESMO! Bem escrita, engraçada, atual – e realmente divertida, por mais que venha com aquelas risadas no fundo TE OBRIGANDO A RIR que vêm como bônus em toda comédia americana. Ou em Chaves. Credo.

Você pode assistir a Partners, legendado e online aqui

E assistir a um sneak peek do primeiro episódio:

Divirtam-se com a história de 4 amigos e 3 casais!

Pra Assistir com Pipoca: Katy Perry – Part of Me 3D

Sempre que algum filme como Never Say Never ou Miley Cyrus: Best of Both Worlds estreia uma polêmica vem à tona: porque mais uma vez os famosos se aproveitam de um momento de sucesso, lançam um filme com uma história nada inspiradora, nada relevante na intenção de ganhar mais e mais dinheiro à custa de seus fãs? Pois bem, eu respondo: a polêmica vem à tona a partir de pessoas que não foram ao cinema assistir a esses filmes. Não que eu esteja defendendo Bieber ou Cyrus, estou apenas dizendo que é melhor assistir antes de falar. Mesmo. É isso que está acontecendo com Katy Perry – Part of Me que teve sua estreia hoje no Brasil – depois de flopar nas bilheterias americanas.

Com os mesmos produtores de Never Say Never, Katy apostou em nada mais que a realidade. Permitiu que as câmeras a filmassem em seus momentos mais vulneráveis – destaque para o momento em que “cai a ficha” do divórcio de Russell Brand -, mais emocionantes e mais engraçados. As redes sociais também têm papel principal – mensagens de katycats e tweets da própria Katy “narram” os acontecimentos da sua história. Claro, tudo isso ocorre enquanto um mega show acontece.

Sem esquecer de sucessos como “I Kissed a Girl” (destaque para o momento em que ela tem de decidir sobre este e outros dois singles), “Thinking of You” (numa versão acústica muito melhor que a gravada em estúdio), e surpresas como um cover de “Dance With Somebody” da Whitney Houston e uma linda versão de “Hey Jude” dos Beatles. Sem dúvidas, um CD deste filme estaria na minha lista de compras. As versões tinham mais energia, mais emoção e mais verdade que quando gravadas para o álbum comercial.
Mostrando a trajetória de Katy desde sua participação num coral Evangélico – seu pai pregava a palavra de Deus e sua mãe também é extremamente religiosa, o que fez com que os dois não deixassem que Katy e seus irmãos (Angelica e David [lindo!!!!] que por sinal aparecem bastante no filme) não conhecessem nenhuma música que não fosse gospel. Até o momento em que Katy estava na casa de uma amiga e “Oughta Know” de Alanis Morrisette tocou.

Esse foi o momento que mudou a vida de Katy. A partir daí, você poderá ver a batalha da cantora em várias gravadoras e inclusive perceber que uma delas manteve Katy presa a sua lista de cantores para que ela não assinasse com outra gravadora e se tornasse um sucesso. Junto a isso, há a luta dela por ser Katy Perry, extrovertida e dinâmica, e não um produto que todas as gravadoras queriam que ela fosse.

E Russell Brand? Cadê? Ao contrário do que todo mundo pensa, ela NÃO tratou de Russell como um monstro em momento algum. Mas a emoção do filme definitivamente foi trazida por ele, quando vemos o Conto de Fadas de Katy se tornar um pesadelo e sentimos nosso coração apertar (e as lágrimas descerem) enquanto ela desaba e precisa tomar uma decisão: ou se entrega à tristeza ou se apresenta para os milhares de fãs que a esperavam em São Paulo. Como ela mesmo diz em suas letras sobre relacionamentos: “não é como nos filmes, mas deveria ser”. Não dá para contar mais que isso a respeito desse momento: você vai ter que ver para sentir.

Relatos como o da avó de Katy (super fofa!), seus pais, seus melhores amigos, empresário e estilista contribuem bastante para o desenrolar do filme. Vale destacar que amigos famosos da cantora também aparecem no filme. Quem são? Não conto!
Não posso terminar sem citar uma das frases que mais me marcou, vinda de Tamra (assistente de Katy): “As pessoas se enganam quando acham que Katy é uma marionete. Katy é a presidente de Katy Perry”. Sim, é perceptível que Katy dá ideias e participa intensamente da “empresa/produto” Katy Perry. E ela não está nem aí para quem acha que não é verdade.

A relação com os fãs, com a família (momentos muito, muito emocionantes com a irmã), e com seu “time” do dia-a-dia transformam o que seria só mais um documentário num filme super interessante, inspirador e que mostra que sim, é possível conquistar os sonhos se você persistir e principalmente seguir um conselho da Rainha dos gatos: “Be Yourself and You Can Be Anything”. “Seja você mesmo e você pode ser quem quiser”.

Para Katy Perry – Part of Me, dou 3 baldes de pipoca!

               E você? O que vai assistir neste final de semana?

Séries & Pipoca #1

Que o countdown para as premieres de nossas séries favoritas comece! Dois meses antes das estreias tão aguardadas de Revenge, The Vampire Diaries, Gossip Girl e Glee, preparei um post super especial contando TUDO que já foi liberado sobre os próximos episódios. Mas atenção: se você não está atualizado nessas séries, sugiro que não leia o post! Estão preparados?


Em Revenge, uma péssima notícia para os fãs de Emily e Daniel: na season finale fomos levados a pensar que Daniel fez muito mais que tomar só um drink com Ashley – e realmente foi o que aconteceu. Muito além de só uma bebida entre amigos, o relacionamento dos dois ficará bem claro logo no primeiro episódio da 2ª temporada. Ashley Madekwe (Ashley também na série) contou ao InsideTV que no script constava uma cena na qual só seria capturada a imagem das roupas no chão. Bem, não precisou disso para dar o recado, né? 


O primeiro episódio também será um “evento futuro” da série, assim como o noivado da primeira temporada. Segundo Ashley, será num iate. Quem arranjou um par foi Nolan, e PASMEM: é uma garota! Gabriel Mann, intérprete de Nolan Ross, contou que seu personagem tende a ficar feliz ao lado de qualquer pessoa que o ame de verdade e ainda deixou escapar que o lado romântico do personagem será explorado de diversas formas nesta temporada! 
Quanto a Jack e Amanda, ele não estará necessariamente feliz com a gravidez dela. Em dado momento, o personagem perceberá que tem um sentimento de proteção acerca dela, mas que já não sente o que sentia antes. 

Em The Vampire Diaries não faltarão mistérios agora que Elena é uma vampira. Segundo a produtora da série, Julie Plec (L) a transição de humana para vampira será a menor das preocupações de Elena na estreia da temporada. O QUE? O QUE PODE SER PIOR QUE ISSO? Bem, que tal uma “sequência de mortes poderosas e surpreendentes”? Julie conta que o Conselho não deixará passar a informação que Alaric deu antes de morrer – sobre os vampiros, o que faziam e quem eram em sua maioria. 


É claro que Stefan e Damon não irão parar de brigar. Ainda segundo ela, os dois terão “visões bem diferentes acerca de que tipo de vampira Elena deve ser”. Para os fãs de Delena, no quarto episódio Elena e Damon terão um “momento”, quando Elena estará um tanto fora de si. Sobre o outro triângulo amoroso envolvendo Tyler, Caroline e Klaus (L), ela garante que ainda há muita coisa para acontecer e que Klaus não desistirá de Caroline – pelo contrário – muito vai mudar acerca de TODOS os triângulos da série, ou seja: será que veremos FINALMENTE Caroline e Klaus?


Bonnie irá fazer de tudo para que Elena não complete sua transição e o novo Caçador de vampiros irã pegar Stefan e Damon de surpresa – desta vez não será tão fácil derrubar o inimigo e os irmãos perceberão que terão de lidar com um problema ainda maior do que estavam acostumados. Ainda sobre Klaus, Julie diz que a decisão dele de permanecer em Mystic Falls terá a ver com o Caçador e que em algum ponto do terceiro ou quarto episódio isto começará a ser revelado. 
Haverá um momento especial para Damon no segundo episódio! Além disso, Elena lembrará de tudo que Damon a fez esquecer, mas o vampiro não será bastante receptivo – uma vez que ele não foi a escolha dela na temporada passada. No entanto, Stefan terá sua relação com Caroline fortalecida, uma vez que ela é adepta do jeito “Vampiro Stefan de Ser” e isto de certa forma ajudará na transição de Elena. 


Gossip Girl tem roteirista novo e isso parece garantir muita emoção à última temporada! Boatos correm na internet que logo nos primeiros episódios teremos o casamento de Blair e Chuck (5 TEMPORADAS DEPOIS!) e uma possível reconciliação entre Bart e Lily (poor Rufus). Nesta temporada, Nate estará engajado e completamente decidido a acabar com a Gossip Girl. Infelizmente, a produtora da série informou que quanto a isso nem eles sabem se realmente poderá acontecer – uma vez que a série é baseada em livros e terá de haver uma conversa com a autora ou outros envolvidos. A aliança de Dan e Georgina não será boa – como tudo que envolve a ruivinha. Além disso, um sextape de Dan e Serena agitará o Upper East Side. A grande questão da temporada é saber se Dan e Serena vão voltar a ficar juntos e como será o happy ending de Chuck e Blair. 


Glee vem recheado de novidades, personagens novos e participações super especiais como Sarah Jessica Parker – segundo Chris Colfer, ela será uma “madrinha” para Kurt – e Kate Hudson, que contracenará com Lea Michele em New York. Um novo personagem surgirá também em NYC para balançar o coração de Rachel, e convenhamos… QUE GATO! Além disso, a história passará em Lima, New York e em Los Angeles também! Para os fãs de Heather Morris em todos os covers que ela faz, a loirinha reprisará o seu melhor: BRITNEY! Já no segundo episódio. YAY! 









Enquanto Finn se juntou ao Exército, Rachel está incerta sobre seu futuro ao lado dele, mas aproveitará bastante NYADA com sua professora interpretada por Kate. Lea Michele contou que trabalhará bastante com
Cory (Finn), Chris (Kurt, o que significa que ele irá para NYC no final das contas) e SIM, SIM, Naya Rivera!!! 







Marque no calendário as datas de estreias: 
Glee: 20 de Setembro
Revenge: 30 de Setembro
Gossip Girl: 8 de Outubro
The Vampire Diaries: 11 de Outubro



Você também é viciado em séries? O que tem assistido ultimamente?
Veja o perfil do Livro e Pipoca no ORANGOTAG!